Confessar é admitir nosso limites diante de Deus, na figura de Cristo, que é o Padre que está na nossa frente. Naquele momento ele é o próprio Cristo que nos ouve e nos perdoa mediante nosso arrependimento de voluntariamente nos distanciarmos de Deus. Esse sacramento é um dos fundamentos da vida cristã. Ele não apenas nos habitua à constante revisão dos nossos pecados, mas também constrói um espaço de humildade em nossas vidas.

Existe uma pressão muito grande, na estrutura social atual, para que as pessoas sejam perfeitas, acima de qualquer erro engano ou cancelamento. A preocupação com a imagem pessoal nunca esteve tão em alta e tão difundida. Uma preocupação que só pertencia a pessoas muito conhecidas ou famosas alcançou todas as esferas das nossas relações quando elas se tornaram virtuais e instantâneas.

Como cristãos, devemos nos comprometer, sobretudo, com o seguimento de Cristo e o que ele nos ensinou é que para além das aparências devemos encontrara a essência de quem somos e honestamente reconhecermos tudo aquilo que nos afasta de Deus. Quando agimos para afastar Deus da nossa vida o caminho que temos que tomar é voltar para a casa do Pai. A Parábola do Filho Pródigo nos ilustra magistralmente esse caminho ( Cf. Lc 15, 11-32 ).

O chamado de volta pra casa é feito toda quaresma para que possamos, por meio do Sacramento da Reconciliação, conhecido antigamente por confissão, voltar à casa do Pai, ou seja abandonar tudo aquilo que nos afasta de Deus e sentarmos à mesa com ele na Ceia Pascal.

Ora mas então o que nos afasta de Deus? São os nosso pecados. São todas as atitudes, pensamentos, palavras e omissões que são um desamor ao próximo e a si mesmo em outras palavras os 10 mandamentos. Também existem os Mandamentos da Igreja, que são os pecados que cometemos contra a nossa comunidade e abandonamos o convívio dos nossos irmãos em Cristo. A revisão de vida da confissão deve partir desses mandamentos, que são guias sobre o que realmente nos leva para longe da casa do Pai.

Por fim a importância de estar diante de outro ser humano e ao mesmo tempo de Deus, quando confessamos, é um reflexo da própria presença curadora de Cristo em nossas vidas. Ele não é uma recordação do passado, mas uma presença viva e amorosa hoje em nossas vidas. O Padre que está como Cristo diante de nós é o sinal dessa presença e só diante do próprio Cristo, Deus que se fez humano, é que podemos nos reconciliar e sermos levados ao Pai por meio dele.

Para saber mais sobre o Sacramento da Reconciliação leia o que o Catecismo da Igreja Católica fala a respeito:

O SACRAMENTO DA PENITÊNCIA E DA RECONCILIAÇÃO


AGENDE SUA CONFISSÃO

Em nossa paroquia as confissões são agendadas por meio da secretaria paroquial.
Por telefone:
(41) 3121-1754
Pelo whatsapp: