O Catecumenato é, no Cristianismo, o período de formação do fiel em preparação para os sacramentos. Atualmente, o termo tem sido utilizado para designar uma forma de catequese contínua, que não se encerra com o recebimento de cada sacramento, mas perpassa todo o processo de iniciação cristã. O Catecumenato é dividido em 4 etapas:

 

1ª) Pré-catecumenato: No início da nossa caminhada, precisamos responder para nósmesmos o porquê quer dar um passo rumo a Jesus Cristo. Precisamos ouvir falar Dele e de Suas obras, precisamos perceber que Ele nos encanta e que queremos dizer um sim com muito entusiasmo. Este tempo é o que chamamos de Pré-catecumenato. A pessoa que participa desta etapa é chamada de candidata(o), e não tem um tempo fixo para permanecer nesta etapa, pois depende de uma resposta sincera de querer conhecer mais sobre Jesus. O final do pré-catecumenato acontece, em nossa paróquia, no domingo da Ascenção do Senhor com o Rito de Admissão ao Catecumenato, em que os candidatos receberem a Bíblia e a Cruz, como símbolos de que devem viver dali em diante uma vida pautada pela oração e vivência da Palavra e que Nosso Senhor morreu e ressuscitou em amor a cada um de nós.

 

2ª) Catecumenato: Esta etapa se inicia no domingo da Ascensão do Senhor e se estende até o 1º domingo da quaresma do ano seguinte, e as pessoas que participam desta etapa são chamadas de catecúmenas(os). Durante este tempo, cada pessoa terá a oportunidade de aprofundar mais na vida de oração, na liturgia e nos ensinamentos da Igreja. Pouco a pouco, o coração de cada catecúmeno vai se transformando, se abrindo à graça de Deus. A cada semana, compreende mais sobre a fé e o amor a Jesus através do tríplice eixo – Palavra – Magistério – Tradição, e revê a sua vida a partir do olhar de Jesus. O final do catecumenato é marcado pela Celebração da Eleição ou Inscrição do Nome, que ocorre no 1º domingo da quaresma. É nesse momento em que o adulto manifesta de maneira pública e solene sua intenção de comungar no Corpo Místico de Cristo, através de sua participação ativa na Igreja.

 

3ª) Purificação e Iluminação: As pessoas que participam desta etapa são chamadas de eleitas (os), pois participaram do rito de eleição. Ela é a etapa mais curta do processo, pois termina na Vigília Pascal.

No entanto, é um período bastante intenso, com celebrações especiais todos os domingos, preparar intensamente o eleito para a recepção dos sacramentos. Aliás, é por causa desta etapa que surgiu a tradição da Igreja de fazer a Quaresma. A noite da Vigília Pascal marca o final do tempo da purificação e iluminação. Nela, o eleito recebe os sacramentos que solicitou (Batismo, Confirmação e/ou Comunhão), e assim, se inicia a última etapa do processo, chamada de Mistagogia.

 

4ª) Mistagogia: As pessoas que participam dela são chamadas de neófitas(os), justamente porque são “novas” na Igreja. É um período para aprofundar ainda mais sobre como a Igreja celebra os seus ritos e como vemos Jesus através deles. Esta etapa termina, em nossa comunidade, no domingo da Ascensão do Senhor – ou seja, um ano depois do rito de Admissão ao catecumenato. Com a nossa confraternização após a missa da Ascensão do Senhor, aqueles que fizeram o processo recebem sua lembrança do catecumenato e marca-se então a conclusão do processo catecumenal. Isso não significa, porém, que se acabou a vida com Jesus: pelo contrário, o processo catequético é apenas o despertar desta vida nova.

 

A transição entre cada etapa é marcada por um rito que ocorre durante a celebração da Eucaristia de domingo. Assim como não é muito seguro subir vários degraus de uma escada de uma vez só, também não é bom “pular” algum rito ou etapa. Por isso, a presença em todos os ritos e etapas é obrigatória.

As etapas do processo catecumenal e os ritos que marcam cada transição de etapa.